NA TUNÍSIA, UM ENTUSIASTA ROXO RESSUSCITA ESTE PIGMENTO ANTIGO, QUE TORNOU CARTAGO FAMOSO

A sua paixão pela história antiga, Mohamed Ghassen Nouira vive-a na sua cozinha: é onde este tunisino gradualmente redescobre, após anos de tentativa e erro, os segredos milenares para fazer roxo, um pigmento de prestígio extraído de uma concha, murex.

Um martelo, uma pinça e uma pequena argamassa de pedra são as suas principais ferramentas de trabalho: o primeiro passo para esta cor típica dos dignitários fenícios, cartagineses e romanos é abrir o murex, uma espécie de bulots com uma concha adornada com espigões.

A sequela é um segredo zelosamente guardado que estava desaparecido há quase 600 anos, mas depois de 13 anos a tentar, Mohamed Ghassen Nouira dominou parte dela.

Em agosto de 2007, encontrou numa praia um murex morto com uma cor roxa vermelha, lembrando-o de uma aula de história que o marcou na escola, em roxo.

Em seguida, comprou alguns espécimes aos pescadores, e começou a explorar este “tesouro marinho” numa pequena cozinha no jardim do pai – a sua oficina ainda hoje.

Faça o primeiro comentário a "NA TUNÍSIA, UM ENTUSIASTA ROXO RESSUSCITA ESTE PIGMENTO ANTIGO, QUE TORNOU CARTAGO FAMOSO"

Comentar

O seu endereço de email não será publicado.


*